terça-feira, 14 de outubro de 2008

Me diga, quem está "feito" na vida???

Entro no orkut de uma amiga antiga (dos tempos de adolescência) pois é aniversário dela e por isso deixo aquele scrap quase mecânico com minhas considerações. Aproveito para olhar em seu álbum de fotos e encontro vários camaradas, das antigas, aqueles que na maioria eu nunca mais vi, ou vejo uma vez por copa do mundo. Uns estão casados, com filhos, outros continuam iguais, outros já nem mais estão aqui...partiram precocemente, porque a vida é assim mesmo, uma piada.
Acabo sabendo de um e de outro, e as novidades não são muito diferentes do que eu imaginava. Olho pros meus amigos mais antigos, e dou uma olhada pros meus amigos mais recentes, 96% estão na mesma, ou seja, igual a mim...eu busquei uma profissão complicada pra caralho, nem melhor nem pior do que qualquer outra, porém busquei algo que eu realmente desfrutaria, e o sabor é essencial nas trilhas da vida; sem sabor nada tem sentido.
Acredite, 96% dos meus amigos ainda não estão ricos ou quase ricos, incluindo os que se enquadram perfeitamente no sistema e/ou na tecnologia. Mas mesmo se estivessem, não mudaria minha opinião.
Dinheiro é importante, e eu também vou atrás dele, mas sou implacável com o que eu detesto, isso eu não faço e acho que ninguém deveria fazer. Também não acho certo planejar muito; faça e pronto, assim você descobre, assim você vive...tô cansado de gente que espera alguém no topo do escorregador pra descer junto, porque tem medo de ir sozinho. Eu faço o que eu faço por mim, e não por você, é assim que tem que ser, e quero que você quebre a cara como quiser quebrar, e deixe eu me ferrar como eu quiser...

Vi essa num filme Italiano uma vez: "Se você quer contar a Deus uma piada, conte a ele sobre seus planos!"

P.S - Assista "Otimismo" e "Fica Frio" - entre outras coisas, elas tratam disso.

2 comentários:

Batata disse...

Ralph, meu brother, quem sou eu para classificar as pessoas, mas eu penso assim: Existem os fracassados e os covardes. Ambos estão em crise . Os primeiros não desistem nunca e não reclamam de, na maioria das vezes, darem murros em ponta de faca - para eles, o excesso é a mola da vida e eles superam todas as dores por aquilo que fazem e acreditam. São envolventes, muitas vezes sedutores e costumam arrastar seus iguais pelo caminho. Os covardes são aqueles que sonegam e sabotam seu próprios prazeres e desafios. Para eles, a abstração supre suas carências diárias e a lamentação torna-se a oração de cada dia. Também envolvem as pessoas com suas ladainhas e até seduzem seguidores pelo caminho. Ambos fazem de sua vida a sua história e costumam escancarar suas virtudes e seus defeitos pela rua à fora. Com eles eu bebo todos os dias. O problema são os vencedores, aqueles que desde criança foram os melhores em tudo, que sempre se mantiveram intactos e inabaláveis, que nunca trocaram porrada com um amigo pela manhã depois de uma puta bebedeira, que nunca sairam de casa e tomam danete todos os dias antes de lerem a "Folha de São Paulo" e entrarem em seus carrões rumo a bandeirada da vitória. Desses eu desconfio, porque não sendo eles nem fracassados nem covardes, só uma coisa resta para eles serem: São eles os canalhas - com eles eu não divido nem a minha agua. Um abraço.

Natalia lemos disse...

Ralph. Meninos.

Obrigada pelos questionamentos!
Obrigada pelo espetáculo!

Que bom que vocês tão aí.
merda curva! sempre.


beijão